Delas #13 – Amigas ou Rivais

No Barquinho março 18, 2016 53

Bem-vindo ao Delas!

Este é o podcast Delas, e dessa vez Jaqueline LimaSara Martins e Késia Luna (Juntos em 1) vão trocar uma ideia recheada de sincericídio sobre amizade!

Dá pra definir esse relacionamento? O que a Bíblia diz sobre isso? É importante mesmo? E se eu não sou muito bom na ~ arte de fazer amigos ~? Como faz?

Além disso a gente dedica um tempo a tratar da famigerada questão: mulher não sabe cultivar amizades mesmo?

Lembre-se: os comentários são o seu espaço para deixar dúvidas, críticas e sugestões! Continue sendo um(a) lindo(a) e educado(a) ouvinte e use esse espaço com respeito e responsabilidade! ♥

Duração: 01h02min35s 
ZIP: para baixar o podcast zipado, clique aqui!

Edição: Thiago Ibrahim
Arte da vitrine: Daniel Sas (portfolio)

SUGESTÕES, CRÍTICAS, DÚVIDAS E MENSAGENS
Envie sua epístola para: delas@nobarquinho.com
Acesse nosso Twitter @PodcastDelas, ou ainda nosso Facebook fb.com/PodcastDelas

QUER ADICIONAR O FEED NO SEU AGREGADOR RSS?
Adicione nosso feed: delas.nobarquinho.com

ASSINE O “DELAS” NO ITUNES:
Acesse em: https://itunes.apple.com/br/podcast/delas-podcast/

  • Line Rocha

    Aeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee sdds!!!

  • Melissa

    Bora Ouvir

  • André Lopes

    Finalmente!

  • Manoella Ferreira

    Que maravilha essa volta, finalmente!!! Baixandooooo!!!!

    • Aeeeeeeeeeee! Como a Aline Rocha e a Melissa Santana já foram vitrines do Delas, parabéns Manoella, você será a vitrine do próximo Delas! (Não, André, não vou de desenhar de perucas!)

      • Manoella Ferreira

        hahahahahaha….que maravilha!!! Obg! Guardarei a imagem para sempre.

  • Fernanda Alcantara

    Uhuuul! Quanto tempo! Feliz demais pelo retorno!! 😀

  • Luke Cage Bolado

    melhor vitrine ever

    • Alguem aqui usou a conta do MDM pra comentar… GWHAHAHHAH!

      • Luke Cage Bolado

        Tão maluco? Meu nome é Lucas.

    • Thiago_Ibrahim

      Vacilou, Erik!

      • Luke Cage Bolado

        Não conheço.

  • Carol Rigonati Eto

    Ebaaa! Ouvindo agora!

  • Fernanda Alcantara

    Acabei de ouvir o Podcast e achei bom demais!! Tenho alguns problemas na “Arte de fazer amigos” como foi dito pela Jaque, mas ao ouvir a opinião das meninas me fez refletir e pensar em mudanças nessa área q é tão importante!
    Acredito q minha maior resistência seja pelo fato de eu ser filha de pastor e dentro da igreja ser taxada como “o exemplo a ser seguido”. Então, sempre acreditei que eu não podia confiar totalmente nas pessoas pq as notícias se espalhariam rápido. 🙁
    Fora da igreja, minha maior dificuldade é a preferência da galera por se encontrar em baladas, bares e ambientes do gênero. Não tenho nenhum problema em visitar esses lugares, mas a partir do momento em que a galera fica bêbada, perde a graça! Não tem mais como conversar!!
    Uma amiga minha que deu certo foi uma q fugiu desses dois ambientes: ela é do ambiente “gospel” (não curto mto essa palavra) mas por não ser da minha igreja e não existir amigos em comum, consegui ter total liberdade com ela! A gente se identifica muito e nos ajudamos em oração, qndo necessário!
    Sei que estou errada em desconfiar das pessoas e agora me sinto mais motivada a mudar esse sentimento. Que Deus nos conduza a amar mais, vivendo conforme a sua palavra que nos diz tanto sobre amizades verdadeiras!!

    • Késia Lóta Luna

      Oi Fernanda! Como filha de pastor, muitas vezes me senti como você e tive dificuldades no começo da adolescência. Eu achava que como “boa filha de pastor”, que “tem que ser exemplar”, tinha que ser amiga de todos. E isso fazia com que muitas amizades fossem superficiais, pois por falta de confiança eu não me abria pras pessoas. Com o tempo, fui entendendo que todos nós temos a missão de sermos um testemunho vivo e isso não
      está ligado a “perfeição” e sim com um estilo de vida que é reflexo do meu relacionamento com Deus. Nossos relacionamentos horizontais refletem o
      relacionamento que temos com o Pai. Creio que este seja o segredo para verdadeiras e duradouras amizades. Quando olhamos para Deus e percebemos que recebemos Graça, o Perdão, o Amor, passamos a olhar os outros também com graça, aprendemos que o perdão em algum momento será trabalhado nessa amizade também, e que a amizade envolve a “entrega” das duas partes. Descobri também que ter poucos amigos, vale mais do que muitos amigos (Prov 18.24). Por isso, você pode desenvolver ótimos relacionamentos, mas sempre haverá aqueles poucos para trocar as confidências e compartilhar os sentimentos
      mais profundos. Bjos!

      • Fernanda Alcantara

        Obrigada pela resposta Késia! É legal saber que não estamos sozinhas nas nossas aflições, existem meninas q tbm passam por isso! Além disso, Deus está conosco e sabe do nosso desejo de desenvolver relacionamentos saudáveis! Que Ele aumente nossa confiança em relação as pessoas e nos una em amor!!

  • Tenho amizades de infância, tipo, desde os 2 anos já lembro, tanto na minha vizinhança, quanto na igreja, e não é o mesmo contato de antes, mas sempre que conversamos é como se fosse a mesma coisa, e o sentimento de amizade é o mesmo. 🙂

    Queria virar vitrineeeeeee hahahaha
    E ouçam “A lista” do Oswaldo Montenegro 🙂
    Bjo

  • Mayara Fernanda

    Quero um beijinho no próximo delas! hahahaha. Meninas, vocês são umas lindas!

  • Leonina Moreira

    Muito bacana e bem feito o post. Parabéns meninas!!!

    A amizade é um presente de Deus. A bíblia diz que o verdadeiros amigos são: Fiéis
    – Pv 17.17; íntimos Pv 18.24 e sinceros Pv 27.6.

    Vejo que a geração de vcs têm muitas dificuldades para fazer amigos de verdade.
    Estamos vivendo um momento de individualidade. A tecnologia que deveria ser um
    instrumentos para criar laços, ela acaba afastando o que existe de mais bonito,
    o contato pessoal, a conversa olho no olho, o bate papo, o chorar e o orar junto.

  • Nathalia Do Henrique

    Aleluiaaaaaaaa…vou comentar depois!!!

  • Foi a melhor abertura que ouvi no Delas até agora.
    Meninas, vcs arrebentaram!!!

    É claro que esse lance de amizade me pega, pq algumas tive que deixar pelo caminho. Outras são talhadas à duras machadadas.
    Jak, tô contigo na teoria de que as pessoas mudam e o afastamento é natural.

    É isso!!!

  • Roberta

    Até que enfim! Que demora meninas rsrsrs vou ouvir agora e já sei que vai ser massa <3

  • Henrique Pretti

    Um comentário de quem começou a ouvir agora… Por que as pessoas falam meu sobrenome como péTRI e não PRÉti? Hein Kesia? Bejo

    • Késia Lóta Luna

      Foi mal, Henrique! Pelo menos o seu é o sobrenome…e o meu que todo mundo erra o nome? hahahaah

  • Rogerio Macedo

    Olá, meninas. Enfim, voltou o Delas. Após ter ouvido o episódio, gostaria de deixar uma pergunta para vocês:

    Amizade, na maioria das vezes, extrapola o ambiente cristão. Eu, por exemplo, tenho bastante amigos que não são da igreja, e 2 deles são praticamente irmãos para mim, ainda que eles não professem a mesma fé que eu. Como eu (e nós, no geral) devemos cuidar/cultivar essa amizade (tirando o clichê do testemunho, que eu acho super-válido, mas gostaria que vocês dessem outra opinião a respeito)?

  • Henrique Pretti

    Pegando um topico desse pod, levanto um ponto: Uma amizade criada através do NB é uma amizade forçada?

    Afinal, você pega um povo que tem em comum o fato de ouvir um podcast, coloca todo mundo em um grupo no telegram e a partir disso cria-se um vínculo com pessoas que têm um interesse comum e partindo disso você começa a partilhar do que acontece no seu dia a dia, uns com os outros.

    Dai, você começa a forçar essa amizade. Fiquei pensando nisso juntando com o que rolou no meu aniversário.

    Se paramos para pensar, parte desse grupo esteve dentro de minha casa, onde se pensarmos bem, são pessoas que se conhecem no virtual é que no real, em alguns casos, sequer haviam se visto um dia, é realmente foi um momento muito legal, não que podemos considerar que todos ali, se tornaram melhores amigos do mundo, mas alarga-se um vínculo criado no virtual, e esse vínculo pode ser melhorado com outros encontros… Uma pizza, um café na casa do Lugo e por aí vai…

    Dito isso, coloco tudo aqui, pensando no que foi dito sobre criarmos amizades ou isso ser algo transcendental. Vejo que nossas amizades são sim, forçadas (em um bom sentido) e não algo que simplesmente surge como um milagre dos céus.

    E finalizo, usando tudo isso para endossar o que, se não me engano a Jaquelne disse… Que temos que parar de manter relacionamentos via WhatsApp e partir para o real, sentar e conversar, olhar no olho… Pois, por mais triste que isso possa ser, infelizmente hoje vejo, em mim, muito mais amigos no mundo virtual que me encontro, do que no mundo real, e isso só será mudado, quando EU começar a forçar esse coleguismo todo a se transformar em uma amizade verdadeira com aqueles que seja possível criar-se.

    Bejo grande

  • André Lopes

    A estória que a Jaq contou dos amigos homens que se encontram e se xingam e que se gostam, eu havia acabado de contar pra minha esposa e depois ouvi no Delas… Amizades é uma das melhores coisas da vida. É preciso cuidar, investir tempo, mas por outro lado mesmo quando ficamos muito tempo sem ver e retomamos ele segue…

  • Rodrigo Rodrigues Malheiros

    A amizade é curiosamente forte e comunicativa, mesmo que não se fale nada. Eu passei há anos por uma situação em que meu amigo perdeu o primo, foi assassinado. No dia do velório, eu não falei nada, sentei ao seu lado uma manhã inteira, sem dizer absolutamente nada. Depois de anos a gente teve coragem de tocar no assunto. Ele me disse que entendeu a companhia e que era exatamente o que ele precisava. Isso me marca muito, porque eu sabia que era isso que deveria fazer e não ficar falando algo. Abraço pra vocês e até o próximo episódio.

  • Carminhalitardi@hotmail.com

    Ola amigas kkkkk ! Não fica brava Sara so brincadeira …
    Feliz q vcs voltaram c um assunto top amei ouvir vcs bjsss! !
    Kesia bem vindaaaa!

    • Késia Lóta Luna

      Obrigada! É uma honra estar com vocês!

  • Welber Martins

    🎼🎶🎶🎵eu voltei agora pra ficar🎶🎼pq aqui🎶 no Barquinha é meu lugar🎼🎵🎶vc meu amigo de fé 🎼🎵🎶 meu irmão camarada🎼🎵🎵🎶🎼🎵

    • Luke Cage Bolado

      Não consegue, né Moisés?

      • Welber Martins

        Ah?

  • Gurias, muito boa a conversa. Interessante como os cristãos, que deveriam amar até mesmo os “inimigos”, tem dificuldade de amar pessoas próximas. Mas isso é normal e faz parte da natureza humana, mas não deveria. :/
    Uma vez salvos, não deveríamos mais viver aprisionados no pecado. Mas normalmente nos vemos “presos” (nós mesmos nos prendemos) em fortalezas, por não entregar totalmente alguma área da nossa vida para Deus. O amor é uma delas.

    Abraço
    EddieTheDrummer (PADD)

  • Yane

    Meninas, arretada a discussão. Uma das coisas que mais falo é de como se desvaloriza a amizade em prol dos relacionamentos amorosos. Sofro bastante com isso com amigas (?) que somem e depois resolvem voltar quando a “bolha do amor” estoura. Não acredito que seja necessário isso. E as poucas amigas que agem diferente me mostram que não é. Dá sim muito bem pra ser amiga e ser namorada.
    Compartilho da opinião da Jaque e da Sara quanto aos papos com os garotos serem (anos luz) mais divertidos, além de serem mais fáceis de lidar kkkkkkk e também me abri pra amizades femininas há pouquíssimo tempo (desde 2013, pra ser bem exata). E também fiquei mais “menininha” depois disso uheuehuheuhe aprendi a diferença de ter amizades femininas. E é muito bom sim, mesmo que (anos luz hahaha) mais difíceis de lidar e manter que as masculinas.

    Sou bem da vibe ~moleca~, amo futebol, video game, acompanho política, leio teologia. Confesso que não consigo conversar muito sobre temas mais “mulherzinha”, infelizmente, o que termina deixando mais difícil o contato com garotas uheuheuhe. Mas concordo demais com o que vocês disseram. Do entregar o coração, confiando que será bem cuidado, do poder desabafar sabendo que vai ter ouvidos atentos pra você, de saber que se pode contar com aquela amiga, se permitir estar vulnerável, mostrar suas falhas. É fantástico mesmo. Concordo com a vivência com os altos e baixos (e até baixissimos) pontos de uma amizade e como eles nos ajudam a crescer e perceber se a gente vai perseverar em acreditar na relação.

    Também fico triste com as amizades que se vão por “incompatibilidades” diversas. Não acredito que uma mudança de rumo faça você se afastar de quem ama se você não quiser isso.

    Enfim! Amei o tema, amei ver que existe sim gente interessada em manter amizades duradouras, independente do que ocorra. E fico muito feliz por isso!

    Seja bem vinda Késia!

    Xerão!

  • Luciano Valério

    Muito bom ter o Delas de volta e seja bem vinda Késia!

    Me mudei de BH pra Vitória e estou vivendo exatamente esse momento de “forçar amizade”, claro que sem ser inconveniente (pelo menos eu acho..rs). Optei por vir pra cá e sabia que seria difícil começar novas amizades porque sou tímido e justamente por isso estou me forçando a “forçar amizade”.

    Sobre ter na igreja um grupo pra recepcionar quem chega é fundamental, pois com muita frequência me senti sozinho dentro das igrejas que visitei e ter alguém que ao menos te cumprimente faz diferença.

    Abraços!

  • Kéllen Valeska

    Aeeeeee o/ Finalmente estas ferias acabaram haha Muito bom ter vocês de volta meninas 🙂 E com um assunto super legal. Na adolescência confesso que tinha amizades mais intimas com meninas, mas depois que fui amadurecendo e também devido ao afastamento natural, hoje minhas amizades mais intimas tem sido com os garoto rs E tem sido beeeem legal também, sem duvidas os homens levam a amizade de uma maneira mais simples, sincera e equilibrada, mas não tão afetuosa, o que acaba me fazendo sentir falta de uma amizade mais “pink” haha
    Mas enquanto não encontro vou seguindo com estas e que espero levar para o resto da vida.
    Beijos!!!

  • Lourival Gonçalves

    Voltei também.Ouvindo agora.

  • Lourival Gonçalves

    Gostaria de deixar um tema.Estou no último ano de Pedagogia e o temas que irá permear meu projeto será sobre Família.Seria legal entender essas diferenças entre as gerações que foram sendo construindas e que estão tão nítidas nos filhos das gerações x e y e os “pais” Baby boomers.Deixo como dica de livro que estou lendo que é da escritura Tania Zagury com o título Filhos adultos mimados,pais negligenciados http://www.taniazagury.com.br/livros-para-professores/.
    Penso que essa questão não esteja fora do âmbito eclesiástico,mas é algo frequente por se tratar de algo refletido nas famílias hoje.Deixo também o podcast em que ela particpou que gosto muito http://www.educadois.com.br/limites-que-libertam-com-tania-zagury-educa2cast/ não tem como se sensibilizar.Parabéns pelo tema “amigas” .kkkkk

  • Wanda Oliveira Lnr

    Aêêêê Delas de volta!!! Ouvi o começo por curiosidade mas to baixando. Meninas valeu pelo beijinho. E Sara, o meu sobrenome é só Oliveira o LNR são as iniciais dos nomes da minha mãe, pai e marido e tbm pq fica mais fácil de achar no Facebook. rsrsrsrsrsrs Já indiquei os podcast e minha amigas estão amando!

    Beijosss

  • Ludmilla Hanna

    Que bom que o Delas voltou! Mais um podcast muito bom e edificante! Eu tbem sempre tive dificuldade em ter amizades verdadeiras. Uma dificuldade que eu tenho hoje é a de cultivar amizades porque estou sempre na correria e não consigo dedicar tempo para encontrar os amigos. As vezes encontro uma amiga no metrô e é assim que conversamos… E outra dificuldade é com os colegas de trabalho, com quem eu passo a maior parte do tempo. A maioria deles não segue a Cristo. Por mais que conversemos e até nos identifiquemos, chega uma hora que os assuntos não batem e os interesses não são os mesmos. Sempre que consigo, falo sobre a bíblia ou respondo dúvidas deles sobre ela. Peço sempre ao Senhor que eles sejam tocados pelo Espírito Santo. Que Deus continue a abençoar a todos vcs!

  • Adrielly Cristina

    Já estava com saudades meninas <3

  • Patrícia Matos Vidal

    As vezes eu ficava me perguntando pq as amizades que eram tão fortes no passado hoje em dia não existem mais. Sempre me culpava por isso, ou pelo rumo que elas tomaram, (a maioria pode-se dizer não seguiram um caminho cristão) e acho que chega uma hora nas nossas vidas que os valores pesam e por isso algumas amizades ficam no caminho, por não entenderem algumas das nossas escolhas.

  • Fran Michelin

    Finalmente!! Sempre atualizava meu feed na esperança, gostei muito do tema. No curso de teologia que faço, essa semana conversamos exatamente sobre isso, sobre a responsabilidade do cristão acolher bem seus visitantes. Concluímos que precisamos urgentemente criar um grupo de acolhimento na igreja! Tenho amigos de varias etapas da vida pré primário, ensino fundamental, ensino médio, curso técnico, faculdade, trabalho, igreja mas o que reparei é que de um grupo grande apenas uns 2 ou 3 restaram de cada etapa. Sou grata por cada um, aprendi e continuo aprendendo muito. Não sou uma pessoa que faz amizade facilmente, primeiro observo muito bem as pessoas. Se vejo ela falando mal de outras pessoas, pode esquecer que não vou fazer amizade rs.

  • Wanda Oliveira Lnr

    Ouvi o Podcast e revivi uma parte da minha vida. Eu me vi nessa situação algumas vezes em épocas bastantes importantes na vida aos 7 anos meu pai faleceu e me mudei, aí já era os amigos de infância porque naquela época sem telefone celular e sem internet fica difícil manter contato. Daí aos 12 anos minha mãe faleceu e fui morar com meus tios daí mais uma vez me separei dos amigos que tinha feito até então e hoje apenas umas três pessoas daquelas épocas mantem contato comigo. Fico até envergonhada porquê tem uma amiga que sempre me manda zap ou mensagem no celular e eu raramente respondo ou mando mensagens também. Outro caso mais recente foram as amigas que fiz na época da faculdade, estas são mais acessíveis porém, como eu casei primeiro e trabalho em um ramo totalmente diferente delas acabamos perdendo contato. Mas estamos tentando nos reaproximar através do whatsapp mas com filhos e morando em cidades diferentes fica difícil. Quanto ao adjetivo “Rivais” o que acontece comigo é o seguinte, tenho uma amiga da adolescência e que tenho contato frequente com ela porém, não sei se por despeito ou até algo que fiz sem nem perceber e ela não gostou, mas a gente sempre se bica, desde o ensino médio é assim até discutir porque ela queria usar uma cor de roupa e dizer que eu não posso usar a mesma cor porque só ela ia usar determinada cor. Ela não curte minhas fotos e posts nas redes, nunca inicia uma conversa só comigo sempre com outras pessoas junto, as vezes entro no grupo e dou bom dia e vejo que ela visualiza e não responde não sei o porque e por partilharmos de um circulo de amigos em comum sempre estamos nos vendo e conversando. Até hoje eu não entendo o porque ela me trata assim, já tentei por intermédio de outras pessoas sondar se fiz algo de errado mas não consegui. Estou tratando meu orgulho para conversar pessoalmente com ela e pôs as cartas na mesa, mas até então só este caso que posso assemelhar ao título do podcast! Eu poderia ficar falando aqui sobre amizade por um mês, porque tenho muita facilidade de fazer amigos, apesar de ter poucos mas espero ter ajudado com minha história, beijos beijos…

  • Sergio

    Só estou comentando para que o programa continue existindo. Esse é o único podcast cristão que tenho paciência pra ouvir, não que os outros sejam ruins, mas a temática evangélica tem me esgotado, mesmo eu sendo um há muito tempo.

    Acho que amizades entre homens é tão dificultosa quanto para as mulheres. Minha experiência entre meus amigos nunca permitiu confessar pecados uns aos outros, não há solidariedade no choro, e a palavra de repreensão sempre é vista com desprezo, porque aliás “eu sei lidar com meus problemas”.

    Acredito que toda amizade se sustenta no começo por algum interesse, e não me refiro ao financeiro, mas à inteligência, admiração, carisma e capacidade que uma pessoa tem de fazer a outra se sentir bem consigo mesma. Quando acaba algum desses itens, a amizade se sustenta pela história em comum, pelo amor construído através dessas coisas iniciais. Alguém pode até tentar se aproximar de outra pessoa chata, pessimista, ignorante e com assuntos pesados, mas uma amizade verdadeira não permanecerá nessas condições.

    E não posso deixar de dizer, com todo respeito, Jaqueline Lima, você é uma host muito carismática e fofa (na falta de palavra mais adequada). Deus recompense os esforços de todas.

  • Douglas Villela

    Quer dizer que homens são superiores no quesito “conversa em grupo” ? Sempre soube.

    • Jaqueline Lima

      Você só veio aqui pra isso?
      Que desperdício de tempo, Douglas! hahaha

  • Natália G Alves

    Boa noite gente! Muito bom esse podcast! Parabéns meninas!

  • Vinicius Grimaldi

    AEEEEEEEEEE #voltoudelas

    Meninas, parabéns por terem voltado! Espero que se sintam animadas a continuar com todo empenho! Que Deus abençoe vocês!

  • Pétrus Davi

    Olá meninas delas (trocadilhos haha), tudo bem? Este é meu primeiro comentário no podcast o/. Sobre o episódio, achei interessante a forma como esse tema de amigas e rivais foi abordado e mesmo sendo um ateu, acho que é válido para qualquer tipo de amizade ter confiança no próximo, já que na minha opinião essa é o pilar mais essencial para se relacionar bem com as pessoas. Sempre me perguntava e ainda me pergunto na verdade porque existem esses tipos de brigas entre as meninas, não só entre elas é claro, só que no caso dos homens não se trata da aparência e sim de provar sua masculinidade geralmente. Uma coisa que me incomodou no podcast é o fato dele ser cristão e na maioria das vezes durante os episódios buscar soluções na palavra de deus sendo que podemos ter soluções mais simples. Mas isso é apenas um incomodo de um ateu que não entende muita coisa disso e que acabou de chegar aqui. Bom podcast apesar da tendência e abraços! 🙂

  • Filipe Oliveira

    Eu achei que meu fone tava chiando, achei q tava com problemas… Depois percebi que era apenas o sotaque da Sara… rsrs Ótimo podcast!