Você pode mudar

Matheus Soares janeiro 26, 2016 0

O que você gostaria de mudar?

Talvez você escolheria mudar a sua aparência, ou encontrar um companheiro, ou ter crianças mais comportadas. Possivelmente vocês esteja tentando subir um degrau na carreira, ou até mesmo procurando uma carreira. Talvez você gostaria de ser mais confiante e espirituoso, ou talvez menos nervoso ou depressivo, ou menos controlado pelas suas emoções.

Todos nós queremos mudar de alguma forma. Algumas dessas mudanças são boas, outras nem tanto. Mas o problema com todas elas é que não são ambiciosas o suficiente. Deus nos oferece algo maior – muito, muito maior!

Barreiras de uma imagem distorcida

No primeiro capítulo da Bíblia nós lemos, “Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (Genêsis 1:27). Nós fomos feitos à imagem de Deus na terra: para conhecê-lo, propagar suas leis pelo mundo, refletir a sua glória.

O problema é que agora essa imagem está distorcida porque a humanidade rejeitou a Deus. Então nós tentamos viver nossas vidas do nosso próprio jeito, e acabamos bagunçando tudo. Nós nos debatemos para ser a imagem de Deus na terra. Nós não refletimos mais sua glória do jeito que deveríamos. O veredito de Deus para a humanidade é: “pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus” (Romanos 3:23).

Nós falhamos em ser a imagem de Deus que deveríamos ser. Não conseguimos ser do jeito que queremos, deixados para ser do jeito que merecemos.

O compromisso de Deus com a mudança

Entra Jesus, “a imagem de Deus” (2 Coríntios 4:4):

“Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação” (Colossenses 1:15). “Ele é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser” (Hebreus 1:3). “Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade” (João 1:14).

Jesus nos mostra que Deus tem compromisso com a mudança. Deus não está interessado em nos fazer religiosos.

Pense em Jesus, que foi odiados pelas pessoas religiosas. Deus não está interessado em nos fazer espirituais se “espirituais” quer dizer isolados. Jesus é Deus se envolvendo conosco. Deus não tem interesse em nos fazer auto-suficientes: Jesus foi a personificação do que é doar-se. Deus não está interessado em serenidade: Jesus era apaixonado por Deus, odiava o pecado, chorava pela cidade. A palavra santo significa “separado” ou “consagrado.” Para Jesus, santidade significava ser separado ou diferente do nosso comportamento pecaminoso. Não significava ser separado do mundo, mas ser consagrado a Deus no mundo. Ele foi a glória de Deus no e para o mundo.

Jesus é a pessoa perfeita, a verdadeira imagem de Deus, a glória do Pai. E o compromisso de Deus para as mudanças em nós é de que nos tornemos como Jesus.

“Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito. Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou, também chamou; aos que chamou, também justificou; aos que justificou, também glorificou.” (Romanos 8:28-30)

(Texto de Tim Chester livremente traduzido do site ChurchLeaders.)