#NB86 – O que é Gospel?

No Barquinho maio 22, 2015 28

Fala discípulo! Pedro Angella, Thiago Ibrahim e Matheus Soares, diretamente do Mar da Galileia, reúnem-se No Barquinho com Joel Mozart para conversamos sobre a origem do Gospel!

Escute o podcast e conheça a origem da música gospel desde seu nascimento nos Estados Unidos, os estilos musicais que derivaram do gospel, a vinda para o Brasil e o nascimento de um rótulo, bem como discutir nossa postura diante de músicas e todo o estilo de vida gospel que são carregados com elas.

Participação especial de Paulo César Baruk e Rebeca Nemer numa breve entrevista concedida no Gospel Live Festival!

Duração: 01h29min00s
– Episódio: 00h00min38s
– Epístolas: 01h05min30s
– Extras: 01h26min19s
ZIP: para baixar o podcast zipado, clique aqui!

Edição: Pedro Angella
Arte da vitrine: Joel Mozart

Links do programa:
– Documentário “Uma história da música evangélica no Brasil – Análises e Perspectivas”
Evangelismo com show “bizarro” da Banda Steiger
Podcast Irmaos.com #196 – Jesus Movement
Podcast Irmaos.com #148 – Músicas Seculares que Edificam
No Barquinho #17 – Obrigado pela Música
No Barquinho #07 – As Velhas Verdades de Eduardo Mano

Links das epístolas:
– #ArrozDeFesta1: Chico Gabriel no Diário de Bordo #49 – Aquele sobre Sharknado
– #ArrozDeFesta2: Cacau Marques no Correio Elegante do OsCabraCast #24
– Conheça o trabalho do nosso amigo Ariel Jaeger no Propagando!
Petição Pública em favor dos Albinos: ASSINE!

Joel Mozart no Espaço Virá
Dia 26/06 às 20h no Espaço Virá
Rua Engenheiro Serafim Voloschen, 159, perto do parque Barigui, Curitiba-SP
Ingresso: R$ 20

QUER ADICIONAR O FEED NO SEU AGREGADOR RSS?
Adicione nosso feed: feed.nobarquinho.com

ASSINE O NO BARQUINHO NO ITUNES
http://itunes.apple.com/br/podcast/no-barquinho/

SUGESTÕES, CRÍTICAS, DÚVIDAS E MENSAGENS NA GARRAFA
Envie sua epístola para: podcast@nobarquinho.com

  • Gabriel Tuller

    Discípulo desocupado! FINALMENTE!

    • Line Rocha

      Parabéns tuller

    • Rebeca da Gama

      Caraca, Tuller!!

  • Felipe Almeida

    Baixando…

  • O dinossaurinho chegou pro outro e disse:
    – Acabei de encontrar sua mãe no parque.
    – Juras? Que parque?

  • Jonatas K. Oliveira

    Como diz a musiquinha….
    Gospel daqui, gospel de lá, gospe no diabo até o diabo se afogá! kkk
    vamos ouvir!

  • Lucas Cassemiro

    Nossa! Ainda bem que esse episódio tem “gospel” no nome. Quer dizer que todo crente pode ouvir.

  • Line Rocha

    Muito bom falar sobre isso, já que muitos ainda tem uma visão errada.

  • Welber Martins

    Gospel? Vamo falar do diabo de novo ou de seitas e heresias ?

  • Rebeca da Gama

    Que legal!! Joel no NB!!
    Nada mais justo do que uma vitrine dele tbm, né? rs
    @sdsbarbosa:disqus, somos seus fãs!! hahaha

  • Rebeca da Gama

    Logo o presbiteriano com mão levantada haha
    Matheus com topete de Elvis… ficou estiloso rs
    Tinha que botar o Bibo nesse coral aí (só que não) hehehe

  • Rebeca da Gama

    Que legal os vídeos do Ariel Jaeger 😀

  • curti muito participar deste podcast!

  • Rebeca da Gama

    Gente, que música é essa no Beijos do Matheus???? O.o
    credo hahahahaah

  • Matheus vendendo biju no final foi o melhor!!! GWAHHAHHAHAHHAHHA

  • Muito bom o episódio pessoal! Parabéns!
    Nesse vou me abster de expor minha opinião para evitar polêmicas haahahaha
    Maaaasss, de qualquer forma, curti a observação do Baruk, apesar de não “justificar” nada, 😉

    Abraço
    EddieTheDrummer (PADD)

  • Gabriel Tuller

    Excelente episódio! Eu passei a pensar que nem o Thiago falou sobre alguém sendo luz lá no meio da galera que fala coisas erradas depois de ver uma entrevista do Duca, o baixista do Oficina G3 quando foi questionado sobre eles tocarem no “festival promessas”. Ele disse que eles precisam estar lá mesmo, e vão mostrar a música deles e apresentar o evangelho pra galera, mesmo que lá vc tenha os “idólatras gospel”. Eu achei bacana esse pensamento, me fez repensar muito minha posição crítica sobre o mercado.

    Sobre a música em si, tem um episódio muito bom que fala sobre esses novos compositores cristãos dos cabracast: http://oscabracast.com.br/19-redimindo-a-musica-crista

    Ele é bom pra aumentar o diálogo sobre o assunto.

    Continuem com o trabalho gospel de vcs! =D

  • Antonio Carlos

    Olá, é a primeira vez que comento aqui.
    Passei dez anos só ouvindo música gospel, pois pensava que era pecado ouvir músicas seculares.
    De um ano pra cá, depois de começar a ouvir o No Barquinho e outros podcasts, mudei meu modo de pensar.
    Agora percebo que a música gospel tem um apelo comercial como qualquer estilo musical.
    Nem todas as letras são feitas pra edificar, tem que ter apelo comercial também.

  • Fala Galera! Ótimo episódio. Realmente é uma pena que o termo tenha ganhado uma conotação tão negativa no Brasil.

    Concordo que no lugar de criticarmos devemos orar e estar juntos mas isso não torna as heresias cantadas menos heréticas, pois a bíblia nos ensina que: Um cego guiando outro cego, ambos cairão no abismo (Mt 15.14), logo é um dever alertar, seja pessoalmente ou não. Não se trata de ser melhor ou pior que ninguém e sim de optar pela verdade mesmo que isto nos torne, por vezes, inconvenientes.

    Gostei da parte dos punks (risos), aliás o movimento punk cristão é bem forte, principalmente na Califórnia, já no Brasil a cena é bem consistente no Pará.

    Com relação as músicas não-confessionais (aquelas que não remetem diretamente a Deus) não vejo nenhum problema nisso mas entendo que devemos colocá-las mais como entretenimento pois a música do culto deve, necessariamente, nos levar a meditar na palavra. Um bom exemplo de música não confessional é a Lorena Chaves. É isso. Grande abraço.

    Luis Vulcanis
    http://www.esconderijounderground.com

  • Thais Xavier

    Sempre me incomodei com a separação do “gospel” e o “profano”. As pessoas só consideram as coisas de Deus, atos como ir à igreja, cantar uma música que fala Deus, ler a bíblia e etc. Mas Jesus ensinou que tudo que faço tem que ser pra honra e glória Dele, logo ir trabalhar é de Deus, sair pra comer com os amigos… qualquer coisa que eu faço, que não desagrada a Deus, deveria ser para adora-lo.

    Quanto a músicas que não fala de Deus diretamente, reforço a Lorena Chaves que o Luis falou (inveja mortal da voz dela) e acrescento Estevão Queiroga (destaco a música “o preço do amor”) e Stênio Marcius.

    Ahhh e indico o podcast Pupilas em Brasas (http://pupilasembrasas.com.br/) 😀

  • Rogerio Macedo

    Dessa vez eu demorei, mas não podia deixar passar a minha participação aqui nos comentários. Baixando…

  • Muito bom galera, vocês foram numa profundidade maior do que eu esperava. Realmente edificante.

    Às vezes as “incoerências evangélicas” presentes nas músicas e até mesmo em muitas pregações nos causa revolta, raiva e sentimentos parecidos. É uma questão para tomarmos cuidado. Mas outras vezes sentimos dó, compaixão, e pensamos se há uma forma de influenciarmos positivamente as pessoas para enxergarem que o que Deus realmente quer para nós não condiz com certas músicas ou discursos que são difundidos, fazendo que passem a enxergar a verdade e o evangelho genuíno. Mas é complicado abrir os olhos de quem já tem esses conceitos errados fluindo na veia. Muitas vezes tentativas de fazer isso acabam despertando a fúria deles. Será que há algo que possamos falar ou mostrar para gerar essa mudança de mente naqueles de quem nos compadecemos?

  • Everton Ajisaka

    Mais um excelente episódio.

  • Danielle Martins

    Olá marujos… voltei. Depois de meses de problemas técnicos(trabalho, trabalho, trabalho) achei um tempinho para voltar fazer uma das coisa que mais gosto….Escutar o No Barquinho, e retomei logo nesse ótimo episódio.

    Quero dizer que minha visão de música gospel mudou muito nos últimos anos e a culpa é de vcs. Não exatamente do No barquinho, mas de todos os pod casts que já ouvi sobre música. Meu lema era: Não pode brotar água doce e amarga da mesma fonte, mas aí ouvido vários casts sobre música passei a pensar diferente e a aceitar que a música é uma arte que pode ser independente do autor. Depois que aprendi isso, resolvi o meu conflito interno em ser crente e gostar de ouvir Titãs e Paralamas. Parabéns galera mais um ótimo episódio

  • Luiz Renato Oliveira Périco

    Muito bom!

  • Ivandro Menezes

    Fala, cabras! Acredito que a banda que o Pedro mencionou é a Alegórica, que — atendendo à exigência de atestado de origem feita pelo Matheus! — é lá do Projeto 242, igreja pastoreada pelo Sandro Baggio!

    Segue o link deles: http://www.muus.com.br/alegorica

    Inclusive eles estão vinculados a Missão Steiger International, com sede em Amsterdã, fundada pelo David Pierce!

    http://youtu.be/5A4TbVL79yA

    Abraço a todos!

  • Eduardo Urias

    Muito bom esse podcast! Destaque para quando foi dito que deve-se ter cuidado quando for tocar uma música na igreja, tipo saber qual denominação o cantor/grupo pertence, pois muitas vezes, num álbum, apenas uma música é coerente, as demais são heresias. Daí, realmente as pessoas vão atrás logo do CD todo. Digo isso porque sou assim, quando gosto de uma música, vou logo atrás da discografia. Felizmente, tenho buscado aprender a palavra e posso analisar mais as letras.
    E vocês tem participação nisso! Valeu galera!

  • Glória Hefzibá

    ELVIS NA EDIÇÃO. SEM MAIS.