#NB77 – Vida Saudável

No Barquinho janeiro 9, 2015 44

Fala discípulo! Pedro Angella, Thiago Ibrahim e Matheus Soares, diretamente do Mar da Galileia, reúnem-se No Barquinho para tentar conquistar uma vida saudável! E para isso, chamamos Abner Melanias (GraçaCast) e Fábio Aleixo, do site Sou Templo, para começarmos o regime!

Neste podcast, descubra que a má alimentação pode dar pedra nos rins e vesícula, qual o problema dos marombados de academia, e como iniciar uma vida saudável sem radicalismos!

Duração: 01h32min00s
– Episódio: 00h00min38s
– Epístolas: 01h11min15s
– Extras: 01h25min48s
ZIP: para baixar o podcast zipado, clique aqui

Edição: Pedro Angella
Arte da vitrine: Daniel Sas (portfolio)

Links relacionados ao podcast:
– Canal: Do Campo À Mesa
– Texto: Como perder 7kg em 10 dias
– Canal: Tastemade
– Documentário: “Muito Além do Peso” (download gratuito)
– Texto: Jesus Cristo Mudou Meu Viver e Meu Peso
– Textos de Beatriz Simões

Links das epístolas:
– #ArrozDeFesta: Cacau Marques no Podcast 2 em 1 #50 – Melhores do Ano 2014

QUER ADICIONAR O FEED NO SEU AGREGADOR RSS?
Adicione nosso feed: feed.nobarquinho.com

ASSINE O NO BARQUINHO NO ITUNES
http://itunes.apple.com/br/podcast/no-barquinho/

SUGESTÕES, CRÍTICAS, DÚVIDAS E MENSAGENS NA GARRAFA
Envie sua epístola para: podcast@nobarquinho.com

Você vai gostar também desses aqui:

  • Eu não comento pra me promover. Isso não é saudável.

    Abraço
    EddieTheDrummer (PADD)

    • Eddie…qual o fone que vc usa pra escutar podcast na academia??? Cara nenhum fone para na minha cabeça…kkkkkkkkk

      • Uso dois modelos. Um é um Philips super simples, daqueles clássicos, só que não é intra-auricular. Outro que comecei a usar agora, as vezes, é um da Motorola bluetooth que ganhei da empresa no final do ano, daqueles que passa por trás da cabeça e é intra-auricular. Só não sei os modelos hehehe Mas o melhor ainda é o simples, mas ele não é tão alto. Alguns podcasts preciso colocar o dedo no ouvido para escutar melhor em alguns trechos.

  • Vamos ver que males eles tem a dizer, pretendo começar minha dieta muito em breve 🙂

  • To aqui com meus 130 kg ouvindo esse episódio que é resposta de oração!
    Fui atleta, zuava os gordinhos e depois que comecei a trabalhar perdi o controle sobre hábitos alimentares e cheguei aos 145 kg… Consegui ir para 110 kg com o jiu jitsu, mas depois que casei relaxei de novo!
    Fico com falta de ar na hora de amarrar o tênis, ronco mais que o motor de um fusca 76, tenho vergonha de comprar roupa pq nunca serve, odeio pergar ônibus e ser olhado com asco pelos outros passageiros e esse calor faz de mim uma caichoeira de suor! To fazendo o caminho de volta, mas quero deixar um registro aqui! Crente é cruel, faz piada suja e humilha o irmão que tem dificuldade com o peso! Já fiquei um tempo sem ir a igreja pq não aguentava mais ser o centro da zuação pós culto!
    Hoje eu sou o obeso que eu zuava! Chegou a hora de virar a chave!
    Depois volto aqui e falo mais sobre o EP #77
    Grande Abraço Negadaaaaa!

    • Fabio Aleixo

      Realmente isso é um problema. Sempre estive acima do peso e todos os meus amigos também e em igreja grande.

      Mas estamos juntos nessa luta de recuperar o tempo perdido.
      Qualquer coisa só gritar.

      Abraço.

  • Jussara Soares

    Tava precisando muito ouvir isso pra tomar vergonha e mudar muita coisa que só tava me fazendo mal. 🙂

  • Lourival Gonçalves

    Sou mais no X-Baratão pra comer um Rato Burg.kkkkk.Baixando

  • Jean Correa

    É comum acontecer de mulheres se olharem no espelho e se enxergarem mais gordas do que realmente são. Comigo aconteceu o contrário. Sempre fui magrelo e sempre detestei ser. Até que me casei e comecei a engordar, mas eu me olhava no espelho e continuava me achando meio magro. Então reparei que nas fotos eu parecia estar bem mais gordo do que eu aparentava no espelho. Foi um susto pra mim, susto suficiente pra me fazer começar uma reprogramação alimentar, que estou seguindo com muito gosto.

  • Lourival Gonçalves
  • pablodpaiva

    baixando…mais um gordo atras de dicas

  • Fala galera. Estou precisando da nutricionista do Abner para tomar uma atitude. Muito bom episódio, faz a gente pensar e rever conceitos. Grande abraço.

  • André Phillipe Oliveira

    Ótimo episódio, bem esclaredor! Realmente muitas pessoas fazem culto ao corpo, usam a academia para aumentarem o álbum de fotos do Instagram. Temos que cuidar do nosso ‘templo’ porém sem paranóias. Eu pesava, em setembro do ano passado, 119,5 KG e hoje, quase quatro meses depois, peso 88 KG, ou seja, 31,5 KG eliminados pois tenho um metabolismo muito acelerado. Fiz acompanhamento com o endocrinologista pois não adianta fazermos dietas malucas que só farão mal ao nosso organismo. Hoje estou disciplinado, sei o que devo e o que não devo comer, as vezes saio da linha e como besteira também (é normal não querer comer pizza de alface, não é mesmo, Pedro? HAHAHA) mas na certeza de que devo voltar ao equilíbrio no dia seguinte. Podemos nos cuidar, viver bem mas sem exageros! Enfim, vocês são demais. Mais uma vez: Parabéns pelo trabalho que realizam!

  • Leandro Fontes

    Dificilmente, atentamos para a taxa de IMC ou temos companheiras que saibam ler a tabela nutricional e aplicá-la em nosso cardápio diário de 2000 kcal.

  • Deivid Genro

    Ouvindo!! Trilha sonora de academia, sem preço!

  • Kéllen Valeska

    Excelente tema pessoal! Não sofro que esse problema de excesso de peso, mas gostei muito de ver vocês incentivando os magrinhos a se cuidarem também. haha 🙂
    E foi legal ver vocês falando também sobre essa paranoia que as pessoas que perdem peso acabam entrando quando emagrecem. Meu irmão era gordinho e agora ficou magro- conseguiu isso diminuindo a quantidade de alimento ingerido-, mas ultimamente tenho percebido que muitas vezes ele fica paranoico em comer por ter medo de voltar a engordar. Vivo brigando com ele por causa disso rs Pois isso pode levar a problemas como a bulimia e anorexia. Acredito- como vocês disseram- em uma mudança que inclua mente, alimentação e exercícios.
    Continuem com o bom trabalho!
    PS: Tô amando está nova periodicidade do No Barquinho

  • Laís D’Andréa Kari

    Ficou muito legal o episódio. Já comecei a me policiar há algum tempo, porque depois dos 30 fica mais difícil perder peso, né… Não teria tanto problema em controlar a alimentação se não fossem os doces, já que fritura e refrigerante, dois dos grandes vilões, não gosto tanto. Preciosa a dica do Abner sobre o açúcar orgânico; uso aqui em casa e, além de não ser tão mais caro do que açúcar refinado, percebi que a quantidade que coloco é bem menor (só no café, porque chá e suco já consigo tomar sem açúcar). Sobre academia, tenho horror, pelos motivos mencionados no podcast, além do que é todo mundo reparando em todo mundo. Comprei um stepper e tento usá-lo com regularidade; tem me feito bem. Muita gente diz que comprar aparelho de ginástica pra deixar em casa é perda de dinheiro, o aparelho vira cabide, etc. Ok, tem gente que paga academia por três meses e frequenta por uma semana, como o Pedro falou; resumindo, vai de perfil. Se você estiver consciente, vai usar bem tanto o aparelho no seu quarto quanto as instalações da academia; só descubra o que é melhor pra você e não ligue pra quem te desencoraja.

    • Pedro Angella

      Eu fiz isso, Laís… Antes de casar, paguei 3 meses adiantado na academia. Fui durante 1 semana.
      Paguei pra esposa também. Na segunda ida, ela torce o pé.
      É a vida… ¯_(ツ)_/¯

    • Realmente, depois dos 30 o metabolismo muda demais. Perder peso é cada vez mais difícil. Triste.

  • Depois de ouvido o podcast:
    Achei muito importante o que disseram, eu me identifico bastante pois desde que vim pra goiania trabalhar e estudar, num tenho muito tempo, e admito que me tornei bastante sedentário. Esse podcast foi bem importante para mim nesse sentido, para me alertar da importancia de bons habitos alimentares e das atividades físicas, e principalmente que saúde é questão de prioridade: se não fazemos atividade fisica ou alimentação saudável, é porque não damos a devida importância.

  • Ricardo Soares

    Gosto muito de vcs e deste trabalho excelente.

  • João Lucas dos Santos

    Impressão minha ou vocês deram uma demonizada nas academias?

    Att,

    • Pedro Angella

      Demonizar é um termo muito pesado, @disqus_alveH1pOme:disqus…
      Mas digamos que as experiências que tivemos a respeito não as favorecem, hehehe! 😉

      • João Lucas dos Santos

        hehehe….
        Entendo e respeito, mas discordo por conta da minha experiência.
        Por causa do histórico da minha família de problemas do coração, fui informado pelo meu cardiologista que devia ter um estilo de vida mais saudável e a academia tem me ajudado bastante nesse quesito.
        Não vou lá para virar o mais novo Henri Cavil, mas para realmente cuidar da saúde. Não gosto de correr e sou pereba em todos os esportes que conheço, então a academia tem sido um bom lugar para botar a máquina para funcionar. Fora que academia e um bom momento de colocar os podcasts em dia.

        Grande abraço!

        • Pedro Angella

          Eu também preciso me exercitar por conta de problemas na coluna, mas o que não gosto de academia é o clima do local… Já tentei algumas vezes e não me adapto; mas de novo, é a minha experiência…
          Na verdade, o que criticamos no podcast não foi a academia em si, mas alguns frequentadores que exageram nessa coisa de culto ao corpo…
          Tenho resolvido com caminhadas, Kinect e alimentação! 😉
          Abraços!

    • Posso estar enganado, mas o que o Pedro Angella quis dizer não é que sejam ruins, mas tem práticas que a academia faz que tem que ser discutido, essa “adoração ao corpo perfeito” que os marombeiros fazem, usar suplementos sem prescrição de nutricionista ou médico.
      Inclusive eu não vejo sentido que as academias põem estudantes de educação física pra orientar os clientes, eles (ainda) não estão preparados pra lidar com algo que é a saúde.

  • João Lucas dos Santos

    Alguém falou que temos que mexer o corpo, então lembrei disso aqui:

    Só lembrando, Arnold Schwarzenegger não dança! Ele mal sabe andar!

  • Felipe Almeida

    Excelente tema!

    Tenho 1 ano e alguns meses que todo santo dia vou a academia e posso dizer que foi a melhor coisa que eu fiz se tratando de saúde e também na minha forma física, pois eu era muito magrelo e não gostava de como eu era, o meu braço era muito fino estilo o Smigol do Senhor dos Anéis, eu pesava cerca de 57 Kg e com uma boa alimentação e uma suplementação básica, hoje tenho 73 Kg com muito orgulho. Não sou nenhum do tipo bombado mas o importante é que eu me sinto super bem como estou hoje. E os treinos não ficavam chatos porque eu sempre estava ouvindo o NoBarquinho durante os exercícios, assim ficava bem mais fácil pra mim. Grande abraço pessoal e até próxima!

  • Yane

    Atrasadíssima nos podcasts, finalmente ouvi hoje esse da vida saudável. Concordo demais com o jeito do Abner de encarar a alimentação. Reeducar é difícil mas é permanente. Também acredito nessa forma de pensar. Principalmente porque reeducar = mudar a mente. E uma vez que a gente muda a forma de pensar o resto é fichinha (não, não é fácil, mas você se adapta mais facilmente).

    Eu sou magra, sempre fui, mas tenho me incomodado há algum tempo com minha alimentação e horário de dormir. Uma coisa que vocês falaram bateu muito bem com o que passo na prática, porque sou filha de pais separados e somos eu e minha mãe desde sempre. Ela precisou trabalhar pra sustentar e eu estive minha infância muito só. Até meus 7 anos em hoteizinhos (não sei se é esse o nome ai, mas são lugares onde as crianças ficam mas que não é chamado de creche, sabe-se lá por quê kkkkkkkkkk). A partir dos 8 anos sozinha em casa mesmo, por pedido meu mesmo, que nao aguentava mais os hoteizinhos e a casa dos outros (hj renderia um belo processo, mas graças a Deus naquele tempo não tinha isso).

    E minha mãe se sentia mesmo muito culpada por tudo. Resultado prático? Não tinha horário pra dormir. Também não tinha pra comer, mas como sempre me alimentei legal não encontro muito problema nisso hoje. Mas eu ficava acordada até ela chegar do trabalho, o que às vezes não era cedo, e minha mãe deixava porque era realmente o único momento de ter alguma interação com ela e privar disso era só ter essa interação nos finais de semana. A consequência disso é que a coisa mais difícil pra mim tem sido ter um horário pra dormir, dormir numa hora regular, dormir cedo. E eu descobri com a psicóloga que essa minha dificuldade está ligada ao sentimento lá de trás em que eu ficava esperando minha mãe chegar. Mesmo hoje ela sendo aposentada e estando em casa muito mais que eu. E isso sempre me incomodou muito, mas eu simplesmente não conseguia resolver. Depois de mais de 1 ano conversando sobre isso, consegui começar a criar um horário e seguir, mas foi difícil. Hoje, quase 2 anos depois do inicio com a psicóloga, to conseguindo ter um horário certo. Aliás, 10h já to morta de sono. Mas não foi fácil, não foi meeeeeesmo. E mostra o quanto da nossa infância a gente traz pra vida adulta e como quando isso acontece na infância é difícil de mudar depois. Exige muita força de vontade. Mesmo.

    Ah! E na vibe do “vai morrer”, fiquei assustadíssima quando a psicóloga me mostrou o quanto uma noite mal dormida atrapalha no funcionamento dos seus órgãos, na sua saúde. Foi um empurrão pra querer mudar.

  • Luciano Valério

    Muito bacana esse podcast! Trazendo um tema que é tão importante pra gente nos dias de hoje, já que os fast-food estão em alta por conta da nossa rotina puxada!
    E esse cast sendo logo no começo do ano é bom pra ajudar e motivar àqueles que colocaram perder peso como meta!
    Parabéns!

  • Galera muito bom o podcast!!!

    Como fui citado exijo uma réplica num futuro podcast…kkkkkk…brincadeira!

    Estou há quase 7 meses fazendo a Dieta Dukan (é sim uma dieta agressiva, a base de proteínas e não é pra qualquer um fazer mesmo), e até hoje foi a melhor coisa que já fiz em relação a obesidade que havia em mim. Já fiz todas as dietas possíveis, já fui em nutricionistas de convênio, já tive nutricionista particular, já entrei em academiaSSSSS, já comprei vídeos de exercícios (ainda quando era VHS), já comprei shakes, já tomei remédios (subotramina, femproporex e outros que não lembro o nome) e nada deu certo.

    Mas há um motivo pra isso…minha filha!!!

    Mas, se eu contar aqui vai ficar muito grande…um dia eu conto em algum podcast por aí.

    Valeu gente!!!

    Há sim, deixa eu fazer o merchan…kkkkk…a Dieta Dukan não é apenas uma dieta de perca de peso, é uma dieta para reeducação alimentar, que em média dura 2, 3 anos!!! Tem 4 fases e na penúltima e última a pessoa volta a comer (como aprendido) os alimentos normais novamente.

    Hoje já eliminei 34kg…saí de 138kg e estou com 104kg…meu objetivo é chegar a 93kg…de acordo com a avaliação que fiz da dieta. Ou seja, faltam apenas 11kg!

  • Cecília

    Parabéns! Muito incentivador! Quando terminei de ouvir, fiz 2 abdominais.

    • Pedro Angella

      HAHAHAHAHAHA! BOA!

  • Amanda Bencke

    Bom, até agora fui uma discípula ingrata, sempre ouvindo, amando muito, mas nunca comentando…hoje então estou “sendo melhor”, mas nem tanto assim, pq já estou atrasada na sequência de Podcasts, mas, como com essa questão de vida saudável, a gente um dia acaba tendo que tomar uma atitude 😛

    Ontem mesmo levei uma bronquinha do personal que faz a laboral aqui onde trabalho…já fiz academia umas milhões de vezes, vôlei, natação, boxe, caminhadas, tentativas de corrida…mas sempre por alguma coisa ou outra, acabo interrompendo – a rotina fica corrida e acabo perdendo a frequência…ou a repetição se torna entediante demais mesmo :/…

    O Fábio falou da organização de trilhas e tal, e lembrei de um evento do ano passado…fui ao Rio em setembro com uns amigos e fiz a trilha da Pedra Bonita….linda demais, indescritível, realmente vale muuuuito…mas eu quase morri O.O! Ainda bem que chegando lá em cima, você literalmente esquece toda o sofrimento do caminho, hehe…mas aquilo foi um alerta e tanto pro condicionamento físico “zero” em que me encontro (e meus amigos também…). Enquanto subíamos naquele estado deplorável, passaram por nós vários grupos de idosos já descendo do topo e fomos ultrapassados por alguns tb…era inevitável aquele olhadela entre nós com cara de “…não acredito..”
    Enfim, voltamos maravilhados com a vista e convencidos que tá mais que na hora de dar jeito nesses corpos…
    Brigada pessoal, por mais um pod muito tri! Bjos!

  • Pingback: #92 Saúde: mente, corpo e alma – Podflix - GraçaCast - Podcast()