Quando cai a máscara…

Pedro Angella abril 18, 2013 5

Assista a este vídeo com Michael Guglielmucci, pastor da Planet Shakers Church. Ele gravou a música “Healer” (Curador, ou Aquele que cura) junto da Hillsong Music, no álbum “This Is Our God”, em 2008.

Reparem nos tubos em seu nariz, e no balão de oxigênio no chão, um pouco ao fundo. O motivo de estar usando estes aparatos era em decorrência de um câncer.

Sua a música trouxe alento a muitos doentes, necessitados de cura física e espiritual. Cura que ele mesmo precisava.

Numa declaração, no entanto, ele afirma que sua doença era outra:

“Por 16 anos, eu tenho lutado contra o vicio da pornografia adulta. Como resultado dessa vida secreta de pecado meu corpo, com frequência perecia estar tomado por um câncer. Dois anos atrás, eu declarei ter contraído câncer. A verdade é que apesar de estar doente, eu não estava com câncer, mas estava outra vez usando um diagnóstico falso para esconder a mentira sob a qual eu vivia.”

Sua máscara caiu. Muitos ficaram estarrecidos com a notícia. A organização de sua igreja retirou sua credencial de pastor. A música “Healer”, hoje cantada em várias versões como esta do Ariel Jaeger (Prop@gando), foi retirada dos CDs e DVDs até então gravados. Sua família não sabia sobre nada até o momento desta declaração.

É muito difícil vermos casos como este em nossas igrejas sem endurecer nosso coração em relação ao nossos líderes. Homens de Deus, “ungidos pelo Senhor”, separados para o pastoreio das ovelhas, abusando de nossa confiança e amor.

Mas difícil é enxergarmos estes líderes como homens pecadores, como nós. Entenda, não incluo aqui líderes que utilizam-se da fé como meio de conquista e prosperidade, extorquindo seus liderados.  Já homens como Michael, pastores ou líderes em suas igrejas, existem aos montes, e continuam aumentando

Incriminados em sua consciência por pecados socialmente inaceitáveis, tendo que conviver com a mentira dentro de si, com a arrogância e intolerância de seus liderados, que não aceitam nenhum desvio de conduta do seu líder. Ou muitas vezes, levados por falácias de outros líderes interessados somente no poder (?) que a igreja pode lhes proporcionar.

E nós, como liderados? Nós, como membros? Como agimos? É muito fácil apontar o dedo, culpá-los, abandoná-los por seus pecados, já que ferem sua reputação, e nada podemos fazer… Ou podemos? Lógico que podemos! É só buscar um pastor melhor, de uma igreja maior, com uma reputação ilibada. Pra então, podemos moldá-lo com a maneira que pensamos e agimos, e AI dele se não adaptar-se! Logo arranjamos outro pecado / desculpa para que este saia e outro entre. Afinal, precisamos de um pastor que nos apascente do jeito que queremos!

Às vezes, penso que exigimos demais dos nossos líderes, e esquecemos que nossos pastores são ovelhas dentro do rebanho, onde O Pastor, nosso Cabeça, Cristo, nos guia conforme a Sua vontade!

Não entendemos que o pastor/líder é um membro do corpo! E quando o membro está doente, TODO o corpo sofre! Reclamar sobre o membro não trata da ferida! Ajudemos, todos, com nossos dons e talentos, para que a sua igreja / Igreja de Cristo transforme a nossa vil realidade!

Não precisamos de mais pastores. Precisamos de mais cristãos! Precisamos de mais homens e mulheres, pecadores e pecadoras, dispostos a servir e ajudar no corpo!

Que Ele nos cure! Que Ele seja tudo o que precisamos! E que dependamos cada vez mais dEle, e cada vez menos de nós!

  • First! HAHAH

    Não tenho o que dizer, mas me compadeci com seu tweet rs

    Eu só fiquei sabendo desse bo de Healer no fim de semana passado. E é engraçado como tudo que li era falando mal do cara e tentando “limpar” a música, dizendo que o que importa é a intenção de quem canta.

    Achei interessante o fato de vc ter deixado essa discussão batida de lado pra trazer uma reflexão sobre os líderes.

    A gente tem dos dois extremos: crentes que colocam os líderes em pedestais, como exposto no texto x crentes que adoram o discurso de que “não somos super-heróis”.

    Claro, ficamos com o último. Mas, até que ponto a gente tem vivido isso efetivamente?
    Lá na nossa comunidade, com nossos líderes próximos, nós exercemos compaixão?

    Enfim, tô pensando…

  • Lucas Teles

    Reflexão interessante!
    Infelizmente isso é muito comum não somente em igrejas, mas em todo lugar. As pessoas vivem com máscaras, mostrando ser o que não são e agem como moralistas.
    Os líderes são colocados como semi-deuses e quando a máscara de um deles cai, o “estrago” é maior por causa da expectativa de pureza que tinha sobre eles. Infelizmente as pessoas se esquecem que TODOS somos sujeitos a falhas. Não que isso seja desculpa para viver pecando e se escondendo.

  • Cara, eu não sabia da história desse carinha aí. Tenso hein. O desafio pra todos que exercem cargo de “liderança” na igreja é esse, ser transparente.

  • Daniel Souto

    Caras, eu digo AMEM!
    Que haja cura e restauração para todos e que vivavos a plenitude (que é transparente) de Cristo.
    Abs !!

  • Pingback: #22 PROFISSÃO: Ministro de Louvor - Achando GraçaAchando Graça()