#NB30 – Escola Bíblica: pra quê?

No Barquinho janeiro 30, 2013 72

Fala, discípulo!

PedroThiago e Matheus, diretamente do Mar da Galileia, se reúnem mais uma vez No Barquinho com João Rodrigo Weronka, do site NAPEC, para falar sobre a importância das escolas bíblicas nos dias de hoje.

Aprenda quando e como surgiu a primeira escola bíblica, conheça o legado desta escola para a humanidade, e aprenda como ser relevante na escola bíblica de sua igreja.

Tempo: 86 min

Arte da Vitrine: Daniel Sas

Links comentados nas Epístolas

Links comentados no episódio

Você também pode participar dessa discussão! É só entrar em contato com a gente!

Email: podcast@nobarquinho.com
Twitter: nobarquinho.com/twitter
Facebook: nobarquinho.com/facebook
Google+: nobarquinho.com/g+
Instagram: nobarquinho.com/instagram

Siga também os marujos no Twitter: @PedroAngella@thiagoibrahim e @matheusmsoares

Assine o nosso feed e receba as atualizações num leitor de RSS / aplicativo para smartphone:
http://feed.nobarquinho.com

Para assinar direto pelo iTunes:
http://itunes.apple.com/br/podcast/no-barquinho/id490144590

Você também pode escutar os podcasts através dos agregadores de podcast! Acesse:
Youtuner:  youtuner.co/channel/nobarquinho.com
Podflix: podflix.com.br/beta/nobarquinho

Para ouvir o podcast no PC clique num dos players abaixo ou faça o download do arquivo para ouvir em seu aparelho mp3/mp4 (Para fazer download clique com o botão direito do mouse em “Download” e “Salvar link como”).

Se preferir, faça o download da versão zipada AQUI.

  • Maylson

    Baixando nesta data querida…vlw pelo presente…sejam melhores para terem pod no dia do seu niver….rsrs

    • Parabéns, discípulo! Que Deus abençoe sua vida. 😉

  • Lucas Teles

    Aí sim! Escola Bíblica é o que mais gosto de participar como palestrante!

    • Poxa mano, eu ñ lembrava q vc dava aula na EBD, senão teríamos chamado.

      Bom, com certeza vai ter parte 2 desse pod futuramente, porque nem chegamos a abordar temas e formatos.

    • Somos 2 mano. Podcast em momento oportuno, a EBD da minha igreja volta nesse domingo.

    • Luciano Coelho Alves

      Parabéns!!! já fui mais dedicado ao ensimo na EBD. Hoje nem tanto ao mar e nem tanto à terra.

  • Tattinha Carneiro

    A hora certa pra lançar o pod é no almoço?
    Maldade com quem ta na fila do self-service…

  • Silvio Hiro Tanita

    Consegui?

    • Silvio Hiro Tanita

      Não consegui… hehe

      • Geovanne Medeiros

        Quando isso acontece comigo, já lembro da voz do Matheus dizendo: “Seja melhor” kkk

      • Pra não passar batido… SEJA MELHOR

        • Silvio Hiro Tanita

          Farei o possível! kkk

  • Baixando! EBD é um assunto que sempre me interessa!

  • Daniel Sas

    Weronka! Olôco! Aí sim hein! Orgulho de fazer parte da tripulação!

    ps.: Quase desisti de comentar por causa da conta do “Calcule, discípulo!”…

    • Luciano Coelho Alves

      Concordo com você. Quase toda vez “tropeço” neste CALCULE, que é uma maneira inteligente de substituir aquele “captcha” horroroso.

  • os discipulos me incentivaram a fazer a maratona ,escutei o cast 1 dos antigos,e depois foi do Matrix para frente ,mas vou contiuar o ptóximo vai ser o que a Sara partipou que por acaso foi o primeiro que ouvi ter referencia no irmaos.com

    ps:errei a charada 9 x um = 10 “que burro da zero para ele”

    • Caraca! Não acredito, discípulo. Acho que a EBD da sua igreja precisa ensinar matemática também! Kkkkk. 😉

      • é que em vez “vezes” pensei que era “mais”
        ps: até sou bom em matemática

    • Luciano Coelho Alves

      É isso aí, remar é preciso… fique firme e como sempre diz o “Síndico-Matheus” #SejaMelhor.

  • Tattinha Carneiro

    Lá na igreja estamos com um problema bem delicado. Os professores da classe de casais decidiram que a sala deve tratar apenas de assuntos sobre casamento/criação de filhos, pois estudar a Bíblia os alunos fazem em casa [sic(!)]. Muitos alunos já reclamaram e alguns até deixaram de ir, mas eles não mudam o posicionamento. Eu entendo a posição de vcs quando vcs dizem que o melhor caminho não é abandonar a EBD, mas concordo com aqueles que não vão mais e estão procurando outras igrejas para frequentar a Escola Bíblica. Eu mesma achei errado quando meus pais deixaram de ir, mas eu entendi depois que minha mãe explicou. Ela disse que tentou o máximo que podia, reclamou, pediu, explicou, até levou uma outra apostila e colocou como sugestão, até que ela cansou. Cansou e percebeu que estava perdendo tempo indo pra uma Escola Bíblica na qual ela não estava nem abençoando, nem sendo abençoada (pelo contrário, o casal de professores, amigos próximos e de muito tempo dos meus pais, estavam já levando para o lado pessoal), eles resolveram então frequentar a Escola Bíblica em outra igreja.

    • Tattinha, realmente chega uma hora que fica inviável e a saída é a única alternativa. Já passei por isso mas não em relação a EBD, entendo perfeitamente!

    • Luciano Coelho Alves

      Mude de igreja Tatinha! estão precisando de um “choque” de uma “sacodida”, formatar o que é livre não me parece ser a melhor maneira, métodologia, escolha de conteúdos até entendo mas, segundo suas palavras, “está difícil continuar”. Mas jamais abandone a EBD!!!

  • Luciano Coelho Alves

    Ouvindo, depois volto para comentar!!!

  • Acabo de ouvir.
    Manos, como sempre vcs acertam em cheio na escolha de temas e convidados para abordagem. =D

    • Obrigado, mano! Fiquei feliz com seu elogio. Prometo manter os pés no chão!

      • Na vdd Thiago, os manos se referia APENAS ao Matheus e ao Pedro. Mas tudo bem, diz a palavra pra eu te suportar, então… 😉

    • Valeu gordinho.

  • Simone de Souza Tiranti

    E ai marujos, meu nome é Simone moro em Jaraguá do Sul SC conheci o No Barquinho faz um bom tempo foi comentado num pod dos irmãos.com vim curiosa dar uma olhada mas acabou não me chamando tanta atenção rsrsr.

    Nesse meio tempo conheci varios podcast, e depois que vi q vcs entraram ali no site do irmãos.com resolvi dar mais uma chance, e valeu apana to gostando bastante e inclusive sou mais uma fazendo maratona, afinal vale apena ver a evolução.

    E olha só meu primeiro comentario em podcast veio pra vcs… Sempre fui da lista daqueles q ouvem anonimamente, mas resolvi dar as caras pra elogiar o pod muito bom.

    Tentei dar uma d dicipula desocupada mas o negocio ta acirrado por aqui rsrrs cheguei e ja tinha um bom tanto d comentarios.

    • Seja melhor, quem sabe você consegue o desejado prêmio de discípula desocupada.

  • Názaro de Brito

    Thiago, desculpa, mas eu não posso me conter:::::::::::::: você não tem moral pra falar de EBD, vc nunca foi à EBD da nossa antiga igreja!!!!!!!!

  • Matador de Galinha

    Olá Marinheiros, parabéns pela pontualidade.
    O no barquinho está em primeiro lugar na minha lista de podcasts:

    1º No barquinho / irmãos.com / btcast (sim os três)
    2º Nerdcast
    3º (FINADO) Jv na estrada.
    4º nulo 5º nulo 6º nulo …
    ..
    365º Macaco friorento (FINADO)

  • Bruno Souza

    Ainda não terminei de ouvir porque acabei de chegar no trabalho, mais já fiquei feliz por ter o meu email lido no cast BadgetUnlocked!

    Nunca foi em escola dominical mais quando eu era mais novo ia na classinha durante o culto, lá eu decorei João 3,16, a musiquinha dos 5 livros da lei e fui sacaneado pela professora na brincadeira do silêncio 😡

  • Geovanne Medeiros

    Agora é uma maratona de comentários então? Bora comentar em tudo…

  • Alexandre Ribeiro

    Muito bom o podcast. Me fez refletir bastante sobre a importância de se ter uma Escola Bíblica relevante Sou professor de escola bíblica, e as veses devido a rotina, acabava por não me preparar tanto para as aulas. Pude repensar algumas coisas neste sentido e com certeza este podcast fez diferença para mim. Paz e que o Espírito Santo continue guiando vocês. Abraço!

    • Às vezes desanima preparar a aula porque os alunos não vão, mas para nós mesmos acaba sendo importante. Quanto melhor preparamos, mais aprendemos.

  • Cinthia Esteves

    Muito bom o podcast. Gosto muito do “No Barquinho”. Está cada vez mais difícil ser o discípulo desocupado…

    Excelente tema – EBD. Tenho total convicção de que as bases da minha fé cristã foram construídas na EBD quando eu ainda era uma criança. Hoje, infelizmente, não frequento mais à escola bíblica, o que representa uma grande perda. =( . Também já fui professora da escola infantil. Pretendo retornar, faz muita falta mesmo!

    Continuem fazendo os podcasts, sendo cada vez melhores.

  • Quero manifestar minha indignação quanto ao “Foram Melhores”

    • Tattinha Carneiro

      Quero manifestar minha indignação quanto a estratégia que você está usando

      • HAUHAUHAUHAU

        • Tattinha Carneiro

          Pq o riso? É um protesto válido!

          • O riso é uma forma de protesto! HAUHAUHA

            • Tattinha Carneiro

              você não pode protestar contra o meu protesto!

              • Názaro de Brito

                EEEEEEEEEEEEEEEEIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

          • Názaro de Brito

            ISSO NÃO VALE!!!

  • Uma vez em encerramento do trimestre realizamos um culto de domingo com a seguinte atividade.:Dentro de uma caixa havia um nome.Nós chamamos algumas pessoas carimbadas que não participavam da EBD.Elas subiram no púlpito e leram aquele nome e começaram a falar sobre aquela pessoa,a criticar,sugerindo que este participasse mais da EBD,juntando também com risos e um peso na consciência.Na Realidade,Dentro da Caixa não Havia um nome,mas um Espelho,kkkkkk,.Em nem um momento nossa intenção foi constragê-los,mas fazer com que eles fizessem uma auto-análise.Embora algumas coisas não mudaram, mas se mostrou necessário de nossa parte mostrar o quanto este departamento é importante em nossas Igrejas e para eles…….Lindo Pod!!!

  • Maylson Fernandes

    Sou Administrador (bacharel + pós, só p não ser chamado de vagabundo pelo Matheus) e Seminarista da igreja a qual congrego, moro em Cachoeiro de Itapemirim – ES (cidade natal “do cara” que não sou eu)…
    Excelente tema e desenvolvimento do conteúdo. É triste saber que a tão famosa EBD dos tempos de nossos pais, hoje são salas vazias marcadas pelas mesmas pessoas que não estudam ou se esforçam para o encontro. Sinto uma grande tristeza no início das aulas quando abro a lista de presença e vejo 35, 40, 50 alunos matriculados para o semestre, mas presentes apenas 6, 8,12.
    Talvez seja pelo motivos de que a EBD não atrai essa geração de jovens e adolescentes por não oferecer um conteúdo que satisfaça seu ego, vontade ou superego…
    Nós, educadores, devemos mudar a temática de ensino, contextualizando para temas mais atrativos aos olhos das gerações, sem perder o foco em Cristo… sim eu creio que isso seja possível, por isso não desanimo de continuar estudando…

  • Franciele Núbia

    Oi meninos, este tema é bem sugestivo e sim por favor façam uma continuação dele pois vale muito a pena sempre conversarmos sobre a EBD. No meu caso quando começei a frenquentar a igrela a qual eu faço parte hoje , eu gostava especialmente de ir na EBD , trocava facilmente o culto de domingo a noite por ir a escola ,lá foi a primeira vez que ouvi um professor dizendo que amor não era um sentimento mas uma atitude e lembro que fiquei tão intrigada que fui correr atrás de informações e pq ele tinha dito isso e meu constante interesse por estudar a palavra foi crescendo. Confesso que hoje deixei de ir , mas reconheço e quero sim voltar as origens . Ótimo cast , bjos…

  • Cara,a revista que uso tenho que tirar o chapéu.É da CPAD.Este trimentre temos lecionado sobre Elias e Eliseu,um ministério de poder para toda a Igreja.Muito boa mesmo.Estes são os meus meus sites de Subsídio,show de Bola http://www.portalebd.org.br/ e http://ebdnatv.multiply.com/. Fica a Dica!!!Valeu

  • Názaro de Brito

    SÓ VOU FAZER UM COMENTÁRIO:::::::: OS QUE ROUBAM VÃO PARA O INFERNO!!!

    Tem gente roubando aqui no “Foram Melhores”!!!!!!!!!!

  • Fala ai Marujos!

    Sensacional esse Pod!
    Quando eu era criança minha avó praticamente me arrastava pra EBD e hoje vejo os frutos dessa insistencia dela, pois na EBD podemos perguntar, debater, buscar conhecer mais.

    Sou professor de EBD há uns 4 anos, comecei trabalhando com adolescentes e há uns 2 anos estou na sala de discipulado, ensinando os pontos básicos de nossa fé, como batismo, ceia e comunhão. Posso dizer que como professor de EBD em várias aulas eu aprendo muito mais que ensino.

    Mas o melhor nesse Pod é o Thiago Ibrahim falando sobre EDB, como postei no Twitter:

    O Thiago Ibrahim falando sobre EBD é igual eu falando de futebol, manjo muito da teoria, mas sou péssimo na prática.

    Abraços
    Thiago Schadeck

  • Olá Irmãos do No Barquinho.
    Tudo bom?

    Gostei bastante do debate desse episódio, nem iria comentar nada, mas vocês em um momento, acredito que em torno dos 55min. que líderes que não frequentam escola bíblica acabam influenciando seus liderados e etc.
    Essa é a mais pura verdade, é por conta disso que igrejas, inclusive a que congrego, tem regras para a liderança da igreja, que se não forem seguidas, a pessoa é retirada do cargo.

    Abaixo transcrevo um texto que fala um pouco dessas regras e do porque a temos, espero que gostem.

    Sem mais,

    Wagner.

    POR QUE NÓS TEMOS PADRÕES PARA OS TRABALHADORES NA IGREJA?

    20 de agosto de 1997 (David W. Cloud, Fundamental Baptist News Service) – Quando eu fui salvo em 1973, comecei a buscar uma igreja bíblica para tornar-me membro. (…) Fui ganho para Cristo através do testemunho de um homem que conheci em uma viagem. Viajamos vários dias juntos e na última noite da viagem, o Senhor retirou a cegueira espiritual que havia em minha mente e abriu o meu coração a Cristo e à Bíblia. As orações de muitas pessoas queridas foram respondidas naquela noite. No dia seguinte, aquele irmão em Cristo continuou o seu caminho e eu continuei o meu. Fui para casa regozijando em minha nova fé em Cristo; reconciliei-me com o meu pai em relação ao qual eu havia estado muito tempo em rebelião, arrumei um emprego e comecei a procurar uma igreja. Fiquei muito feliz ao encontrar uma igreja que eu sentia ser uma igreja sincera em relação a servir ao Senhor e separar-se do mundo. Era uma pequena Igreja Batista Independente. Mais tarde frequentei um Instituto Bíblico Batista Independente, e então comecei a preparar-me para o nosso trabalho missionário na Ásia.

    Já se passaram 24 anos desde que o Senhor transformou a minha vida e envolvi-me no movimento das igrejas Batistas independentes.

    Muitas coisas têm mudado desde então, e uma delas é a deterioração dos padrões morais em nossas igrejas. Tenho percebido que a atitude de muitos membros das Igrejas Batistas Independentes de hoje é muito parecida com as atitudes das pessoas em igrejas ecumênicas que despejam sua raiva contra mim na Internet. Eles são teimosos, obstinados e rebeldes contra altos padrões morais e estão envolvidos no protesto fajuto contra “legalismo.” Mesmo quando os seu pastor prega contra usar roupa indecente como saias curtas, tops e calças, eles ostentam este tipo de roupa em público. Mesmo quando os seus pastores alertam sobre assistir a filmes que não agradam a Deus, eles vão aos cinemas e assistem filmes para maiores de 13 anos ou trazem filmes ainda mais vis para dentro de seus lares.

    A DETERIORAÇÃO NO LAR

    Uma das principais razões para a queda nos padrões morais em nossas igrejas é a condição espiritual dos lares. Em muitos casos temos trazido o mundo para dentro de nossos lares através de programas de televisão e vídeos gravados que não são saudáveis e vídeo games violentos, esquisitos ou de algum outro modo impuros. Um número excessivo do povo de Deus passa mais tempos com estrelas de Hollywood ou personagens de romances do que com pessoas piedosas e cheias do Espírito Santo; mais tempo ouvindo música country ou programas seculares de entrevistas no rádio do que os grandes hinos da fé e a Eterna Palavra de Deus; mais tempo acompanhando algum time esportivo vão do que buscando a face de Deus e ganhando almas para Cristo. Em muitos casos não temos adorado ao Senhor vigorosamente em nossos lares através da leitura da Palavra de Deus e oração, discutindo assuntos bíblicos, cantando hinos ou ouvindo pregações. É muito comum ver famílias cujos membros, ao invés de servirem ao Senhor juntos, vão cada um para o seu lado e pelo seu caminho, fazendo cada um o que bem entende; e não temos buscado trazer missionários e pastores para dentro de nossos lares para que a nossa família possa ser abençoada com a presença de pessoas zelosas que amam a Deus. Grande parte de nossos lares são carnais e mundanos, e isto é refletido em nossas igrejas. Famílias carnais pressionam o pastor para que abaixe os padrões da igreja. É a responsabilidade do pastor diante de Deus resistir a esta pressão, mas um triste fato da natureza humana é que muitos pastores não farão isto.

    A DETERIORAÇÃO NA PREGAÇÃO

    Outra razão para a queda nos padrões morais de nossas igrejas é a deterioração na pregação. Um quarto de um século atrás, frequentemente ouvia-se pregação direta e poderosa contra roupas imodestas, filmes e programas de televisão vis, dança e música rock. Muitos Neo-fundamentalistas afirmam que a pregação sobre padrões feita em séculos passados era exagerada e repetitiva (“hobby horse”), que muitos homens pregavam mais sobre cabelo (cabelo comprido para homem) do que sobre santidade. Eu não acredito nisto, e eu estava lá. Sem dúvida deviam haver alguns pastores que exagerava no foco das coisas externas, mas não creio que este tenha sido um problema comum entre Batistas fundamentalistas em tempos passados. Aqueles que dizem isto estão usando esta afirmação como uma cortina de fumaça para esconder o fato que esta nova geração tem abaixado os padrões de moralidade. Posso testificar que foi tal pregação que me encorajou a começar a limpar a minha vida e a separar-me do mundo. Raramente ouve-se este tipo de pregação em igrejas Batistas independentes hoje em dia, no entanto, e mesmo quando algumas destas coisas são mencionadas brevemente no púlpito, é feito quase como que pedindo desculpas. Isto é um crime. Pregar a Palavra de Deus é muito mais do que meramente ler as Escrituras publicamente. É o dever do pastor proclamar a Palavra de Deus com ousadia e aplicá-la ao dia a dia de seus ouvintes.

    A DETERIORAÇÃO NA APLICAÇÃO DE PADRÕES PARA
    TRABALHADORES NA IGREJA

    Outra razão para a queda nos padrões morais em nossas igrejas é a deterioração na aplicação de padrões para trabalhadores na igreja. Aqui nós chegamos ao objetivo principal deste artigo. Uma igreja não pode exigir padrões de cada membro da igreja, mas pode exigir altos padrões de vestimenta e comportamento daqueles que estão em posições de ensino e liderança. Há um claro exemplo disto nas Escrituras. Considere I Timóteo 3:1-13, Tito 1:5-9, II Cor. 8:18 e 22. Eu sei que há igrejas que têm abusado desta questão de padrões; enfatizando o externo e ignorando o interno, que é muito mais importante; promovendo padrões de forma pouco graciosa; não sendo pacientes com novos convertidos que são imaturos e ignorantes a respeito de santidade bíblica etc. Sei que é possível estar limpinho por fora e ao mesmo tempo ser impuro por dentro; alguém pode ser um exemplo perfeito em relação aos padrões batistas fundamentais e ser tão carnal por dentro como um crente de Corinto. Eu entendo isto e é algo que não podemos esquecer. Focar o externo e negligenciar a questão de santidade interior é hipocrisia. Por outro lado, uma pessoa cheia do Espírito Santo irá importar-se profundamente com o externo, pois o externo afeta o coração. Prov. 4:23-27 exorta-nos a guardar o coração com toda diligência. Como isto é feito? Esta passagem nos diz que guardar o coração significa guardar o que os olhos vêem e o que os ouvidos ouvem e o que a boca fala e aonde vão os pés. Aquilo que é externo afeta o coração (ler Prov. 4:23-27). O fato de que esta questão de padrões tem sido abusada não é desculpa para jogarmos fora o próprio conceito de manter altos padrões para os que trabalham na igreja. COISAS EXTERNAS NÃO SÃO TUDO O QUE IMPORTA, MAS SÃO MUITO IMPORTANTES. Se alguma vez houve uma época em que as igrejas precisam exigir altos padrões de seus trabalhadores e professores, esta época é hoje!

    A SEGUIR IREMOS ENUMERAR ALGUMAS DAS RAZÕES PELAS QUAIS AS IGREJAS PRECISAM ESTABELECER E EXIGIR ALTOS PADRÕES MORAIS DE SEUS TRABALHADORES:

    1. ALTOS PADRÕES ELEVAM E MANTÉM OS PADRÕES GERAIS DE TODAS AS IGREJAS. Deus exige altos padrões dos líderes da igreja porque eles são exemplos para a congregação e eles representam a igreja aos olhos das pessoas da comunidade (Tito 2:3,4; I Pedro 5:3). Se os professores de Escola Dominical ou aqueles que trabalham com os jovens não têm altos padrões morais em suas vidas pessoais e em seus lares, isto puxa para baixo os padrões de toda a congregação. Os alunos que se sentam sob a influência destes professores são mais impressionados pelas vidas de seus professores do que com suas palavras. O professor poderá dizer que é importante ser santo para o Senhor, mas isto soará vazio se aquele professor estiver envolvido em coisas carnais e mundanas e se ele não exemplifica as coisas que são pregadas do púlpito. Os jovens já são fortemente atraídos pelo mundo. Se os seus professores são mundanos, eles estarão sendo duplamente encorajados a irem nesta direção e serão ainda mais mundanos que seus professores. Se os professores assistirem filmes para maiores de 13 anos; os jovens assistirão filmes para maiores de 18 anos. Se as professoras usarem saias um centímetro acima dos joelhos, as jovens usarão saias 2 ou 3 ou 4 centímetros acima dos joelhos. É absolutamente imprescindível que uma igreja estabeleça e exija os mais altos padrões morais para seus trabalhadores para que possa elevar e manter os padrões da igreja toda.

    2. ALTOS PADRÕES DESAFIAM SALVOS A UM VIVER MAIS ELEVADO. Como um novo convertido, eu fiquei feliz em encontrar uma igreja que estabelecia altos padrões. Era um encorajamento para mim. Eu ainda fumava, tinha cabelos compridos, falava alguns palavrões, ouvia música rock, assistia a filmes indecentes, etc. Mas eu instintivamente sabia que uma igreja deve praticar e ensinar santidade. Eu não procurei uma igreja onde as pessoas viviam do jeito que eu vivia quando eu era um recém-convertido; eu procurei uma igreja onde as pessoas estavam empenhando-se para andar em santidade bíblica. Fui desafiado a começar a limpar a minha vida, porque os trabalhadores da igreja mantinham altos padrões diante de mim. Se este não tivesse sido o caso eu poderia ter me sentido confortável em minha imaturidade mundana e é possível que eu jamais tivesse mudado. O pastor me desafiava do púlpito e os trabalhadores me desafiavam com suas vidas. Eu também fiquei sabendo que a escola bíblica que eu queria frequentar não permitia coisas mundanas e fui desafiado com isto a elevar meus padrões pessoais. Eu nunca me arrependi disto. Hoje, no entanto, as igrejas estão permitindo que o brado falso e carnal de “legalismo” as intimidem a deixar cair seus padrões. Como resultado disto, novos cristãos não estão sendo desafiados a viverem vidas santas, a separarem-se do mundo. Eles podem ficar confortáveis com mundanismo porque é isto que eles têm visto na vidas de alguns trabalhadores.

    3. ALTOS PADRÕES OFERECEM OPORTUNIDADES DE ENSINO. Quando minha esposa era uma adolescente e recém-convertida, ela estava muito entusiasmada sobre seu recém descoberto relacionamento com o Senhor e uma igreja bíblica. Ela saiu e comprou um bonito vestido para ir à igreja. O coração dela estava certo mas o vestido era inapropriado. Era apertado e curto! Ela não tinha ninguém para ajudá-la a entender estas questões. A mãe havia aceitado a Cristo a pouco tempo e os outros membros de sua família não eram salvos. Felizmente, o professor de escola dominical dela era um homem piedoso, e ele a levou ao lado e bondosamente explicou alguns dos princípios básicos sobre vestimenta modesta. Minha esposa ficou um pouco embaraçada, mas também ficou grata por alguém ter tomado tempo para instruí-la sobre o certo e o errado. Ela aprendeu a vestir-se com modéstia e tem feito assim desde então, e tem treinado nossa filha de 20 anos a fazer o mesmo. Altos padrões desafiam novos membros e também oferecem oportunidades de ensino para instruí-los em santidade.

    4. ALTOS PADRÕES ENCORAJAM E APÓIAM AQUELES QUE TÊM ALTOS PADRÕES. É uma tremenda frustração para uma família ter altos padrões se os trabalhadores de sua igreja não têm os mesmos padrões. Da mesma forma, se uma igreja mantém altos padrões para seus trabalhadores, é um tremendo encorajamento para as famílias que estão se esforçando para manter bons padrões. Isto reforça a sua posição. Considere esta situação: Algumas famílias na igreja nunca têm permitido que seus filhos assistam a qualquer coisa além de vídeos de filmes livres, cuidadosamente selecionados (este é apenas um simples exemplo de muitos que poderiam ser dados). Por outro lado, há professores e trabalhadores dos jovens que permitem que seus filhos assistam a filmes considerados inapropriados para sua idade e que não agradam a Deus. (Em inglês o autor se refere a filmes PG e PG 13). E até mesmo permitem eles irem ao cinema onde filmes ainda mais vis (R rated) são anunciados. Isto cria tremenda confusão e um grande potencial para haverem problemas. Os padrões dos pais são minados e enfraquecidos. O trabalho dos pais torna-se mais difícil. Os jovens são seriamente tentados a culparem seus pais de serem legalistas exagerados e poucos razoáveis. Aqueles que trabalham com os jovens não podem apoiar os pais porque eles vivem contrários a estes padrões, e sentem-se desconfortáveis e tentados a falarem contra estes pais e a rotulá-los como “legalistas”, “auto-piedosos,” “fariseus” (“holier than thou”), etc. Os pais que têm estes padrões mais altos podem ser vistos como “encrenqueiros”, não importa o quanto os corações deles estejam retos diante do Senhor.

    5. ALTOS PADRÕES SÃO NECESSÁRIOS PARA MANTER A BOA REPUTAÇÃO DA IGREJA. Os trabalhadores e professores representam a congregação aos olhos dos outros membros da igreja e da comunidade. A igreja como um todo será julgada pelas vidas de seus trabalhadores. Se a comunidade observa professores e líderes dos jovens da igreja vestidos imodestamente, irá deduzir que a igreja aceita isto. Se os diáconos alugam filmes para maiores de 13 anos (ou ainda piores), a comunidade irá deduzir que este é o padrão da igreja em si. E, de certa forma, ela está correta. Se o pastor não mantém padrões altos e bem definidos para todos os trabalhadores da igreja, ele está passando a mensagem de que estas questões não são importantes, e a comunidade ouvirá esta mensagem alta e clara. É claro que estas coisas muitas vezes são feitas sem o conhecimento do pastor e contra sua vontade.

    6. ALTOS PADRÕES EXPÕEM A ATITUDE DO CORAÇÃO. É possível estar correto no exterior e não ser santo por dentro, mas aqueles que são santos por dentro não são descuidados e rebeldes sobre as coisas externas. Aqueles que lutam contra padrões escritos para trabalhadores na igreja, estão demonstrando a condição impura de seus corações. (Ler I Cor. 6:20, II Cor. 7:1). Aqueles que amam ao Senhor são sensíveis em relação a toda e qualquer coisa que poderia afetar seu testemunho para Ele e sua comunhão com Ele. “Abstende-vos de toda a aparência do mal.” (I Tess. 5:22). Aqueles que amam ao Senhor também são submissos à autoridade. A Bíblia diz: “Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isto não vos seria útil.” (Heb. 13:17). Aqueles que amam ao Senhor não são obstinados em relação a seus pastores. Eles têm um espírito obediente. Quando o pastor prega solenemente contra imodéstia e prazeres vis e moda unissex, etc. eles são submissos. A atitude de uma pessoa em relação a tais pregações exibe a condição do coração.

    Aqueles que amam ao Senhor, geralmente são cuidadosos sobre como outros são influenciados através de seu comportamento. (Ler I Cor. 8:1,13; Rom. 14:15).

    Cristãos que rejeitam padrões de vestimenta e comportamento, geralmente afirmam que eles têm liberdade em Cristo para viverem de uma forma diferente, para se vestirem de maneiras que consideramos imodestas, para assistirem coisas que consideramos vis e destrutivas, para ouvirem música que consideramos carnal, etc. Se esta fosse a verdade (e não cremos que seja), há uma responsabilidade de vivermos não para agradar a nós mesmos, mas para edificar a outros. Quando você abaixa os padrões de sua igreja “já não andas conforme o amor” em relação àqueles que estão lutando para manter altos padrões. Nós temos liberdade em Cristo, mas não temos liberdade para pecar.

  • pronto graças ao bom Deus consigui terminar de deixar um comentário relevante(ou não) em todos os pÓdis do NoBarquinho ,não foi cronologica ,exemplo escutei o 14 antes do 10 que foi o penultimo e o 13 que foi o ultimo …

  • Alrizete Martins

    Acabeiiiiiiiiiiiiii a Maratona desse podCast! Para mim foi o melhor podcast Marujos! =D

  • Daniel Souto

    Um dos episódios mais importantes do No Barquinho.
    Denuncia uam realidade dura e amarga: Como igreja somos rasos. Stott descreve-nos bem como um rio muito grande e =m extensao, mas raso em profundidade.
    essa realidade só terá alguma mudança quando houver uma disposição PESSOAL na busca de nosso Senhor.
    estamos longe de deus e portanto pouco percebemos o que realmente importa.
    O conselho do ed se faz bem relevante: Faça um cículo em volta de si e se comprometa diante de Deus em revolucionar a vida da pessoa que se encontra dentro do círculo.
    amigos, perto está o Senhor! (Que nós tbm)
    Abraços a todos !!

    • Daniel, valeu pelo excelente comentário.

      O nosso ideal é fazer com as nossas reflexões consigam afetar de alguma forma as igrejas locais, fazendo com que pessoas sejam impactadas e tenham suas mentes voltadas para o Reino.

      Tivemos um feedback bem positivo sobre o tema do #NB030 e pretendemos continuar nessa pegada.

      Abraço, discípulo!

  • Só testando o gravatar!!rere

  • Aff!não deu certo!!kkk

  • Sou Cadastrado no Gravatar,mas ele não aparece aqui.Pq?Ajude-me!!

    • Tenho quase certeza que você cadastrou outro email no Gravatar… Foi esse do hotmail mesmo?

  • Steh

    Olá amigos

    Faz tempo que não comento, mas não deixei de ouví-los, porque não tem como!
    Mais um tema muito relevante e que fez diferença para mim. Não tenho ido a EB a um bom tempo, justamente por ter estar em uma igreja que não consigo me aproximar dos jovens e isso me traz tristeza tbm. Mas ouvindo o pod vou me esforçar para agradar a Deus nesse sentido também, de buscar mais os estudos da palavra.

    Eu acredito que para despertar talvez um pouco mais do interesse para que as pessoas frequentem a escola bíblica é o formato – por exemplo tentar sair um pouco daquele círculo que as pessoas formam na sala ou o enfileiramento das cadeiras – acho que ao ar livre de vez em quando é uma ótima opção – e a questão de trazer sempre para a nossa realidade os estudos, fazendo os alunos a tomarem notas de algumas coisas que acharem interessantes durante a aula para serem discutidas no final, por exemplo, motivando a argumentação e estudos mais aprofundados muitas vezes.

    Parabéns mais uma vez!
    Deus os abençoe e proteja sempre!

  • Laís Ambrósio

    Oi Meninos, que podcast bacana!
    Como muitos já disseram (porque eu ouvi os últimos 3 podcasts em maratona!), também sou professora de EBD. Já dei aula para todos os grupos etários dentro de igreja: bebê, crianças, pré-adolescentes, adolescentes, jovens e adultos, que é aonde estou agora.

    Decidi assumi isso justamente porque não gosto de pessoas que encaram o estudo da palavra como qualquer coisa. Fico a semana toda pensando sobre o que vou falar no domingo e nunca quero perder esse temor de tentar transmitir em minha aula aquilo que é mais fiel possível à Palavra de Deus.

    Deus abençoe vocês por estarem abordando temas como esse! Um grande abraço!

  • Pingback: Correio Elegante #08 - OsCabraCastOsCabraCast()

  • Ai Matheus nem reclama hein!
    2 anos depois vou comentar…kkk
    Ainda bem que vc não falou contra a EBD..hein….