Quebre a colher

Lucas Teles janeiro 24, 2013 4

A maioria dos ditados populares faz total sentido na vida das pessoas. Outros nem tanto. Alguns são engraçados. Outros de muito mau gosto. Mas um ditado popular que é muito conhecido e falado é: “Em briga de marido e mulher ninguém mete a colher”. Já ouvi centenas de vezes pessoas dizendo isso para outros enquanto falavam de brigas e desavenças entre cônjuges.

Acredito que a utilização dessa emblemática frase tem o seu valor em algumas situações. O povo tem mania de se intrometer onde não são bem-vindos. A maioria sempre tem bons “conselhos” quando acontece algo de anormal, ao seu entendimento, na vida alheia.

Conheço casamentos destruídos pela ação de terceiros na vida do casal, com conselhos mal dados, opiniões que contribuem para um maior desgaste entre os cônjuges, pessoas que “metem a colher” no relacionamento alheio, achando que estão ajudando. Isso é prejudicial. Muito prejudicial.

A partir do dia em que se casaram, homem e mulher tem total autonomia para tomar suas decisões e fazerem o que bem entenderem das suas vidas. São apenas os dois agora. Não existe isso de pai opinar nisso, mãe dizer para fazer isso, ou algo do tipo. Quando se casaram, se tornaram TOTALMENTE independentes dos pais e passaram a ser TOTALMENTE dependentes do cônjuge.

Dia desses, uma aluna disse-me que teve sérios problemas com sua sogra. Contou-me várias histórias onde ficava evidente a tentativa daquela senhora em tomar decisões para o casal em diversos assuntos, principalmente na criação dos filhos. Para mim, a gota d’água foi quando a sogra foi passar uns dias na casa do filho e exigiu dormir no quarto do casal juntamente com eles. Tem cabimento? Isso é inaceitável. O pior foi que o marido aceitou sua linda mamãe no quarto com eles. Falta de comando do homem, de imposição; faltou coragem para dizer: “Mãe, essa casa é minha, esse quarto é meu lugar de dormir com minha esposa e não tem lógica nós três ficarmos aqui.”

Antes de casar-me, assisti a um vídeo de certo pastor onde ele contou uma história de um jovem casal que estava com problemas no casamento por causa dos desmandos da mãe do rapaz. Numa das situações, até a cortina da casa a “véia” escolheu. Isso causou muitos problemas, pois a dona de casa não tinha nem o prazer de escolher a decoração do seu lar. O marido era um “banana” mesmo. O pastor disse que teve que aconselhar o jovem marido como se portar diante dessas situações e com isso evitou o divórcio iminente.

Casos extremos acontecem quando casais se casam e moram na casa dos sogros ou bem próximos. A situação, para mim, ficaria insustentável se meus sogros ou pais morassem perto e quisessem ainda nos controlar. Não daria certo mesmo.

Meus amigos, nossos pais são nossos amigos, parceiros, conselheiros e se preocuparão conosco sempre, mesmo depois de casados. Mas isso não lhes dá o direito de tomar nossas decisões, implicar com nossas opiniões ou decidir o rumo das nossas vidas. Depois que me casei toda decisão que tomo é em acordo com minha esposa. Nossos pais não tem poder de decisão sobre nossas vidas. Uma coisa é ouvir a opinião deles, pedir conselhos, mas a decisão sempre será do casal. Assim que deve ser!

Por isso que eu digo: Quebre a colher!

 

“Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.” Gênesis 2:24

  • Concordo com seu ponto de vista. E mesmo entendendo que vc não generalizou a questão de quem mora na casa dos sogros ou bem próximos serem controlados depende de outros fatores e não será nunca regra. Afirmo isso, pq conheço casais nestas condições que possuem um bom relacionamento e não há interferência dos pais.

    Paz e bem.

  • Excelente artigo mano. Eu concordo plenamente com tudo que você escreveu, e mesmo antes de casado já tenho esse tipo de conversa com minha namorada.

    O que o Abner tá falando é exceção, dar certo nessas circunstâncias.

  • Luciano Coelho Alves

    Falta em nossa vida-conjugal a velha prática da leitura conjunta da Bíblia. Em em relação à Palavra precisamos ler e ouvir de novo, de novo e de novo mas de maneira maravilhosa descobrir que cada vez é mais profundo, mais profundo e mais profundo.
    Como casal (apenas para contextualizar com este texto) esta prática nos fará rever nas Escrituras coisas que já vimos e ver coisas que a gente não percebeu e ficar impressionado e cada vez mais impressionado ao ver de novo.

    Parabéns!!!

  • antes de ler pensei que era pra se metar nas brigas e não só “colocar a colher” e sim “quebrar” ,mas agora entendi é quebrar para não se meter,pelo menos me enganou e não foi obvio ,para bens a ao mineirinho Lucas Teles